Bem-Vindo a este espaço.
Todos os comentários, discussões e debates são bem-vindos independentemente da opinião expressa estar ou não de acordo com a minha. Para tal é necessário cumprir quatro requisitos: respeito, tolerância, educação e escrever correctamente! Reservo-me, no entanto, ao direito de encerrar qualquer tópico quando assim o entender, bem como, de remover qualquer comentário que considere não respeitar as regras acima mencionados! Obrigado e participe!
________________________________________________
Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

Perguntem aos vossos avó


Outro dia ouvi o Bagão Felix falar da Flexissegurança. Dizia ele: "Não faz sentido a um hotel empregar as mesmas pessoas em Janeiro e em Agosto".

Do ponto de vista do hotel, tem toda a razão. A afluência em Agosto é muito superior à de Janeiro onde, concerteza meia dúzia de pessoas consegue assegurar os serviços minimos.
O problema põe-se quando se pensa que do outro lado estão pessoas e não objectos, que se colocam numa prateleira quando não são necessários. Este conceito até poderia funcionar se no País se tivessem criado bases para tal. Mas para isso, seria necessário um mercado de trabalho capaz de absorver esses trabalhadores sazonais, bem como uma segurança social capaz de suportar os que não fossem... absorvidos!
Mesmo assim, continuar-se-ia com um problema. É que o trabalho pode ser sazonal, mas as pessoas não são. Estas são pessoas o ano inteiro!
Quantos de nós gostaríamos de ser colocados numa prateleira, mesmo que o Estado nos pagasse para tal? Quantos de nós gostaríamos de mudar de tipo de trabalho 2 ou 3 vezes por ano? Ou mesmo na vida? Hoje engenheiro, amanhã jardineiro...

Ao ouvir as palavras de Bagão Felix automaticamente imaginei um átrio de um hotel, no começo da época alta, repleto de trabalhadores desempregados; e um senhor bem vestido a examiná-los e a escolhê-los pela sua imagem e robustez, para o trabalho a desempenhar. Aos escolhidos era dado o "privilégio" de trabalhar, sem contrato, sem regalias, recebendo o suficiente para comer e dar um pouco à familia.

Depois, pensei que isto não me era estranho. Isto não era mais do que... as Praças de Jornas! Não sabem o que é? Perguntem aos vossos avós!

SECÇÕES:
Publicado por jpgn às 12:39
Abrir tópico | Comentar...
1 comentário:
De Artur a 29 de Junho de 2007 às 17:06
Sei o que é... e temo que estejam de volta e em força, com um portal de inscrições e um algoritmo no servidor da empresa.

Será que tudo se resume ao lucro?

(ouço que se espera o sol até na música que passa;)


Comentar tópico

________________________________________________


SECÇÕES

- mensagem -

abril

actualidade

automoveis

cidadania

divagações

férias

fotografia

fotografias

memoria

memorias

memórias

musica

poesia

sociedade

todas as tags

FRESCOS:

Dedicatória

O Fim

Fado Fátima Futebol

Estranha Ditadura

Love Will Tears Us Apart

Prioridades

Que Grandes Bombas

Entregar o Palácio às pes...

Coerências

Marcel Marceau

Portugal no seu melhor...

Convexo

Comboio

O Pequeno Galo Vermelho

Lei de Murphy

MADUROS:

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007