Bem-Vindo a este espaço.
Todos os comentários, discussões e debates são bem-vindos independentemente da opinião expressa estar ou não de acordo com a minha. Para tal é necessário cumprir quatro requisitos: respeito, tolerância, educação e escrever correctamente! Reservo-me, no entanto, ao direito de encerrar qualquer tópico quando assim o entender, bem como, de remover qualquer comentário que considere não respeitar as regras acima mencionados! Obrigado e participe!
________________________________________________
Terça-feira, 17 de Julho de 2007

Ventos de Mudança


Dos resultados eleitorais do passado Domingo para a CML, parece-me que se pode tirar uma grande ilação.

 

Não a do Carmona Rodrigues que afirmou, face à elevada abstenção, que os lisboetas não queriam a queda do anterior executivo. Parece-me forçado e demagógico justificar a fraca afluência às urnas com este argumento. Creio que se deveu mais ao facto de ninguém acreditar que em 2 anos se possa fazer o que quer que seja.

 

Não a do António Costa que exultou a grande vitória do PS. Creio que com cerca de 60% de abstenção ninguém pode clamar vitória, seja qual for o escrutinio.

 

Também não é a do Jerónimo de Sousa que se apresentou como a 3ª força em Lisboa, ignorando as “independentes” que ficaram à sua frente. Esqueceu-se, ou não, da palavra “partidária”... 3ª força partidária!

 

Mas é exactamente esta a grande ilação que se retira. Depois do que se passou há dois anos nas autárquicas; depois do ano passado nas Presidênciais; agora, nestas intercalares voltam a sobressaír as candidaturas independentes da sociedade civil.

 

A sociedade está a mudar e a acreditar que pode ter intervênção na vida politica.

E não é enterrando a cabeça na areia, ignorando e menosprezando estes sinais que os Partidos devem conviver com isso; Não é desvalorizando-as, como alguns crâneos comentadores o fazem por elas saírem de dissidências partidárias. Elas são, de facto, bastante valiosas para a Sociedade e devem ser encorajadas.

 

Novos caminhos estão a ser desbravados. São caminhos penosos, como o são todos os que implicam uma mudança de mentalidade. Continuemos, pois, a desbravá-los!...

 

 

PS: Uma nota final para o Zé que faz realmente falta. Como o faz qualquer voz que se levanta, por muito chata que seja; alguém que mande uns murros na mesa e que exponha o que escondido “deve” estar. Faz-me lembrar o Major Mário Tomé... e que falta faz ele na Assembleia da República!

Era bom que não fizessem o Zé falar... isso depende da forma como se fazem as coisas!

Publicado por jpgn às 14:14
Abrir tópico | Comentar...
________________________________________________


SECÇÕES

- mensagem -

abril

actualidade

automoveis

cidadania

divagações

férias

fotografia

fotografias

memoria

memorias

memórias

musica

poesia

sociedade

todas as tags

FRESCOS:

Dedicatória

O Fim

Fado Fátima Futebol

Estranha Ditadura

Love Will Tears Us Apart

Prioridades

Que Grandes Bombas

Entregar o Palácio às pes...

Coerências

Marcel Marceau

Portugal no seu melhor...

Convexo

Comboio

O Pequeno Galo Vermelho

Lei de Murphy

MADUROS:

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007